Micose de pele
Saúde

Como curar Micose de pele – veja como cuidar

Primeiramente, a Micose de pele pode ser decorrente de uma infecção de um fungo. Normalmente, esse problema tende a afetar também as unhas e o couro cabeludo. Assim, os principais sintomas são marcas brancas, muita coceira, unhas quebradiças e feridas entre os dedos.

Além disso, o tratamento habitual abrange medicamentos antifúngicos, como cremes ou sprays e a alteração de algumas atitudes no dia a dia. Portanto, a micose é enquadrada em dois grupos principais: superficiais ou profundas.

O primeiro tipo acontece quando os fatores climáticos (altas temperaturas, umidade e escassez de luz) estimulam o surgimento desses organismos. Ao passo que os profundos comprometem os indivíduos com problemas imunológicos.

Provavelmente você conhece ainda a frieira, popularmente chamada, pé de atleta. Essa é uma Micose de pele extremamente comum. Então, os fungos se propagam entre os dedos, causando bolhas de água, descamação e muita coceira.

Micose de pele
FOTO: Pexels

Dicas para cuidar da Micose de pele

Para tentar conter o avanço da Micose de pele, o médico pode recomendar os medicamentos antifúngicos na forma de esmaltes, sprays, cremes, entre outros. Normalmente, os remédios precisam ser utilizados entre dois até três meses consecutivamente.

Todavia, alguns fungos apresentam resistência e demandam que os cuidados se estendam por até 365 dias. Já quando se está sofrendo muito com a micose nas unhas ou no couro do cabelo, não adianta se limitar aos esmaltes e loções.

É preciso recorrer a alguns comprimidos por um determinado período. Mas, lembrando que você deve ter a indicação de um profissional do setor de saúde para iniciar qualquer tratamento.

O que é a Micose de pele?

A micose é um problema que se manifesta no couro cabeludo, nas unhas e na pele, passando de um paciente para outro por contato direto. Pois, o fungo pode estar localizado no solo, na água ou em artigos de utilidade diária, como calçados e toalhas. Além disso, quanto maior o calor ou a umidade, maior a disseminação e o perigo de pegar.

Contudo, você pode ficar atento as causas e aos fatores de riscos, como a genética, sapatos muito apertados, falta de cuidado com utensílios para trabalho de manicure, ficar longas horas com o traje de banho úmido, caminhar descalço em piscina ou praia, problema de imunidade, obesidade e estresse.

Dicas das melhores pomadas para micose

Geralmente, o tratamento para Micose de pele pode variar conforme a gravidade das lesões apresentadas. Entretanto, sempre vale a pena conhecer os seus principais aliados para se prevenir, não é?

Pomadas e cremes para micose

Na maioria das vezes, o tratamento é efetuado a partir da aplicação de cremes e pomadas com ação antifúngicas, como o clotrimazol, cetoconazol, isoconazol ou terbinafina.

Remédios antifúngicos

Entretanto, se o caso não for devidamente controlado e não melhorar somente com a utilização das pomadas descritas no tópico anterior, é indispensável se encaminhar até um médico. Porque é provável que você tenha de recorrer a medicamentos antifúngicos, como fluconazol ou terbinafina.

Mudanças de hábitos

Além das possibilidades para o tratamento, o ideal é que a Micose de pele também gere a alteração de alguns costumes no dia a dia.

Na verdade, a lista contempla medidas simples de higiene, como limpar adequadamente entre os dedos, cuidar bem das suas unhas, lavar corretamente os cabelos, procurar não sofrer com estresse constantemente e não utilizar e tampouco emprestar as suas toalhas, meias e calçados de outras pessoas.

Dicas para evitar pegar micose na pele

Mas, sempre é melhor prevenir do que remediar, não é mesmo? Sendo assim, todo mundo pode tomar algumas atitudes para diminuir as hipóteses de sofrer com uma micose na pele.

É preciso sempre estar com chinelos ao se banhar em clubes ou academias, secar muito bem o corpo ao sair do banho (sobretudo, as dobrinhas), opte por meias de algodão que conseguem capturar o suor e evite as meias de tecido sintético, que acumulam a umidade.

Além disso, você pode descartar os calçados que abafam demais os pés, não utilizar o mesmo sapato por dois dias consecutivos e conferir se todos os itens de trabalho da manicure estão esterilizados.

Lembre-se ainda de levar o seu próprio alicate, lixa e outros produtos que considerar necessário, visando não compartilhar com os demais no salão de beleza.

Sempre vá ao médico dermatologista!

Afinal, a Micose de pele pode não ser notada no começo, especialmente, quando surge nos pés, o ideal é analisar o próprio corpo eventualmente para tentar identificar o problema precocemente.
Preste atenção as marcas, as coceiras e a descamação que podem ser reconhecidas erroneamente como alergias ou irritação da pele. Portanto, o mais prudente é buscar pela avaliação de um dermatologista frente a qualquer um desses sinais.

Logo, se o exame não for totalmente conclusivo, o especialista pode requerer uma análise de mostras da área comprometida. Desse modo, se tornará possível apontar com certeza o tipo de Micose de pele e o melhor tratamento a ser seguido.

Rute Salustiano

Olá, sou Rute Salustiano e adoro escrever e aqui no Portal Mulher Curiosa trocaremos ideias e falarmos sobre tudo relacionado ao mundo feminino.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.